Rumo faz triagem de animais em áreas operacionais da ferrovia

O cuidado com a fauna é uma das diretrizes dos projetos ambientais da Rumo, maior operadora de ferrovias do Brasil. Desde 2017, a empresa conta um programa de resgate de animais em áreas operacionais da ferrovia. Os trabalhos são executados em uma base móvel que percorre os principais trechos das Operações Norte e Sul. O consultório é equipado com medicamentos de uso veterinário, materiais para contenção, equipamentos para exame clínico e transporte das mais variadas espécies.

Em dois anos de operação, mais de 60 atendimentos foram realizados pela equipe de veterinários e biólogos da Companhia. As espécies mais comuns pertencem aos grupos dos répteis (cobras/lagartos) e anfíbios (sapos/pererecas).

Na base, o animal passa por uma avaliação física completa, sendo efetuada também a biometria e registro fotográfico. “Caso seja constatado que o animal encontra-se sadio, ele é solto em uma área segura semelhante ao local de captura”, explica Tatiane Bressan Moreira, especialista em fauna do setor de Licenciamento Ambiental da Rumo. “Se não houver condições de soltura, ele é encaminhado para instituições veterinárias parceiras para realização de tratamento clínico ou cirúrgico específico, onde permanecerá internado até alta médica”, complementa.

Além do atendimento veterinário, a empresa também investe em estruturas para prevenir e reduzir os riscos de atropelamentos. Em diversas localidades é possível encontrar passagens subterrâneas (passa-fauna) que auxilia na travessia segura dos animais sob a linha férreas. Algumas delas são equipadas com câmeras fotográficas, utilizadas para monitorar a fauna local.

Sobre a Rumo

A Rumo é a maior operadora de ferrovias do Brasil e oferece serviços logísticos de transporte ferroviário, elevação portuária e armazenagem. A companhia opera 12 terminais de transbordo, 6 terminais portuários e administra mais de 12 mil km de ferrovias nos estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. A base de ativos é formada por 1.000 locomotivas e 25.000 vagões.